Pré-Publicação

Título
Vaccination protocol and bacterial strain affect the serological response of beef calves against blackleg, 30(7):00-00
Autores

Resumo
RESUMO.- Araujo R.F., Curci V.C.L.M., Nobrega F.L.C., Ferreira R.M.M. & Dutra I.S. 2010. Vaccination protocol and bacterial strain affect the serological response of beef calves against blackleg. [Esquemas de vacinação e cepa bacteriana influenciam na resposta sorológica contra o carbúnculo sintomático em bezerros de corte.] Pesquisa Veterinária Brasileira 30(7):00-00. Departamento de Apoio, Produção e Saúde Animal, Curso de Medicina Veterinária, Universidade Estadual Paulista, Rua Clóvis Pestana 793, Bloco 37, Araçatuba, SP 16050-680, Brazil. E-mail: isdutra@fmva.unesp.br

Foi avaliada a resposta sorológica de bezerros de corte submetidos a diferentes esquemas de vacinação contra o carbúnculo sintomático, empregando-se como antígenos duas cepas distintas de Clostridium chauvoei: uma oficial (MT) e a outra uma cepa de campo. Os animais (n=60) foram randomizados em quatro grupos (G1, G2, G3 e Controle) e submetidos a três protocolos distintos de vacinação com um produto comercial polivalente. O G1 foi primovacinado aos 4 meses de idade e recebeu o reforço após desmama (8 meses de idade). O G2 recebeu a primeira dose aos 8 meses de idade e reforço 30 dias após. O G3 foi vacinado somente aos 8 meses de idade e o Controle não foi vacinado. As avaliações sorológicas pelo ensaio imunoenzimático (Elisa) foram realizadas aos 4, 8, 9 e 10 meses de idade dos bezerros. Nos dois esquemas em que os animais receberam o booster (G1 e G2), houve um aumento significativo (p<0,05) da resposta sorológica quando foram avaliados 30 dias após. No entanto, os valores séricos de IgG contra C. chauvoei foram significativamente maiores nos animais primovacinados aos 4 meses de idade. Aos 10 meses, os dois grupos que receberam o reforço vacinal (G1 e G2) não diferiram entre si na resposta sorológica e os bezerros que receberam uma única dose de vacina na desmama (G3) não diferiu do Controle. A resposta sorológica dos bezerros foi significativamente inferior (p<0,05) em diversos momentos da avaliação, quando a cepa de campo foi empregada como antígeno e quando comparada à da cepa MT. Pode-se deduzir que a resposta sorológica dos bezerros vacinados aos 4 e 8 meses de idade foi satisfatória e que existiram diferenças significativas nos valores séricos de anticorpos contra C. chauvoei quando na avaliação foi empregada cepa de campo.
Download / Visualização