Ano 2016 - Volume 38, Número 4


Título
Detecção do DNA de Leishmania infantum em hamsters infestados com carrapatos coletados de cães naturalmente infectados, 38(4):329-333
Autores

Resumo
RESUMO. Almeida V. dos A., da Hora T.N., Leça Júnior N.F., Carvalho F.S., da Silva A.L., Wenceslau A.A., Albuquerque G.R. & Silva F.L. Detection of Leishmania infantum DNA in hamsters infested with ticks collected from naturally infected dogs. [Detecção do DNA de Leishmania infantum em hamsters infestados com carrapatos coletados de cães naturalmente infectados.] Revista Brasileira de Medicina Veterinária, 38(4):329-333, 2016. Departamento de Ciências Agrárias e Ambientais, Universidade Estadual de Santa Cruz, Campus Soane Nazaré de Andrade, Hospital Veterinário, Km 16, Rodovia Jorge Amado, Ilhéus, BA 45662-900, Brasil. E-mail: fabiana.lessa@gmail.com

O objetivo desse estudo foi investigar a participação de Rhipicephalus sanguineus na transmissão da Leishmania infantum. Para isso, foram utilizados 24 hamsters adultos da linhagem Golden, de ambos os sexos, os quais foram divididos em dois grupos: controle (n = 4) e grupo experimental (n = 20). Os animais do grupo experimental foram infestados com carrapatos obtidos de cães naturalmente infectados por L. infantum. Os hamsters do grupo controle não foram infestados e foram mantidos sob as mesmas condições dos outros animais. Após três meses de observação, os animais foram submetidos à eutanásia e necropsia para obtenção de amostras de sangue, 35 baço, fígado, linfonodos e pele para histopatologia, imuno-histoquímica e reação da polimerase em cadeia (PCR). Quatorze hamsters (70%) do grupo experimental tiveram resultados positivos na PCR para detecção do DNA de L. infantum em amostras de capa de leucócitos. Os resultados obtidos nesse estudo sugerem que carrapatos R. sanguineus podem transmitir algumas formas ou partes de L. infantum para hamsters parasitados.
Download / Visualização