Ano 2016 - Volume 38, Número 3


Título
Dinâmica da apreensão de produtos de origem animal em bagagens internacionais no Aeroporto de Brasília (AIB-PJK/SBBR), 38(3):265-276
Autores

Resumo
RESUMO. de Melo C.B., Fino T.C.M., Schwingel F.F., Santiago M.T., de Barros L.F.R., McManus C. & Sá M.E.P. [Dynamics of seizure of animal products in international baggage on Airport of Brasilia (AIB-PJK/SBBR).] Dinâmica da apreensão de produtos de origem animal em bagagens internacionais no Aeroporto de Brasília (AIB-PJK/SBBR). Revista Brasileira de Medicina Veterinária, 38(3):265-276, 2016. Universidade de Brasília, PPGCA, Campus Universitário Darcy Ribeiro, ICC Sul, Asa Norte, Brasília, DF 70910-900, Brasil.
E-mail: cristianomelo@unb.br

O risco de introdução de agentes infecciosos aumenta à medida que o volume de produtos importados eleva-se. A entrada ilegal de produtos de origem animal (POA) trazidos em bagagem de passageiros internacionais é um fator que compõe a avaliação do risco e que cresce, proporcionalmente, à intensificação do trânsito internacional de passageiros. Foram avaliados os dados referentes às apreensões de produtos de origem animal interceptados em bagagens internacionais de passageiros no Aeroporto de Brasília (AIB-PJK/SBBR) entre os anos de 2010 e 2012. A análise da dinâmica destas apreensões considerou a categoria de POA, origem, companhia aérea e meses de maior frequência e, ainda, verificou a correlação entre essas variáveis. De acordo com a análise retrospectiva, quase oito toneladas de POA foram apreendidas, provenientes de 52 países, ao longo do período avaliado. Os resultados mostram Portugal (p<0,0001) como a origem de passageiros que obteve maiores frequência e quantidade de apreensões, e que, somado a outras origens europeias, totalizou 84,3% dessas apreensões. Os meses de julho, agosto e setembro destacaram-se pelo maior número de apreensões, bem como maior movimentação de passageiros internacionais. O aumento no número de apreensões acompanhou a elevação na porcentagem de passageiros fiscalizada (r= 0,69), enfatizando a importância da fiscalização aeroportuária. De acordo com o cálculo do risco relativo, passageiros provenientes de países africanos e sulamericanos mostram maior magnitude de risco de trazer produtos de origem animal de maneira irregular, quando comparadas às demais origens.
Download / Visualização