Ano 2016 - Volume 38, Número 3


Título
Infusão contínua de propofol ou midazolam associado à anestesia subaracnóidea em ovinos submetidos a osteotomia bilateral de tíbia, 38(3):250-256
Autores

Resumo
RESUMO. de Lima M.P.A., Comassetto F., Regalin D., Dallabrida A.L., Ronchi S.J. & Oleskovicz N. [Propofol or midazolam infusion associated with subarachnoid anaesthesia in sheep submitted to bilateral tibial osteotomy.] Infusão contínua de propofol ou midazolam associado à anestesia subaracnóidea em ovinos submetidos a osteotomia bilateral de tíbia. Revista Brasileira de Medicina Veterinária, 38(3):250-256, 2016. Departamento de Medicina Veterinária, Centro de Ciências Agroveterinárias, Universidade do Estado de Santa Catarina, Av. Luís de Camões, 2090, Conta Dinheiro, Lages, SC 88520-000, Brasil. E-mail: noleskovicz@yahoo.com.br

A espécie ovina destaca-se por ser um ótimo modelo experimental na área ortopédica. Desta forma, o objetivo deste estudo foi avaliar a segurança e eficácia da manutenção anestésica por infusão contínua de propofol ou midazolam, associada à anestesia subaracnóidea com morfina e ropivacaína, em ovinos, submetidos à osteotomia bilateral de tíbia. Foram utilizados 12 ovinos, mestiços, hígidos com peso médio de 30,5±2,7 Kg. Os animais foram sedados com 0,3 mg.Kg-1 de morfina IM associado a 20 mcg.K-1 detomidina IV. Posteriormente foram alocados em dois grupos: grupo Midazolam (GMID), onde foram induzidos à anestesia geral com 5 mg.Kg-1 cetamina e 0,5 mg.Kg-1 midazolam IV, sendo a manutenção anestésica realizada através da infusão contínua de 0,7 mg.Kg-1.h-1 de midazolam; Grupo Propofol (GPRO), onde foram induzidos à anestesia geral com 4 mg.Kg-1 propofol, e manutenção anestésica através de sua infusão continua na taxa de 0,25 mg.Kg-1.min-1. Os animais foram intubados e mantidos em ventilação espontânea com oxigênio 100%. Realizou-se anestesia subaracnóidea com 0,5 mg.Kg-1 de ropivacaína 0,75% associado a 0,1 mg.Kg-1 de morfina pela via subaracnóidea, diluindo-se com solução NaCl 0,9%, para um volume final de 1 mL/7,5 Kg. Houve depressão respiratória significativa após a indução anestésica, caracterizada pela elevação significativa dos níveis de CO2 e redução do pH, em ambos os grupos. Observou-se redução significativa da FC em torno de 38% após a sedação com morfina e detomidina, a qual manteve-se reduzida até o final da avalição, sendo significativamente menor no GMID. Não houve requerimento de suplementação analgésica durante o trans cirúrgico/anestésico, sendo que os animais foram mantidos em plano anestésico superficial. Conclui-se que a utilização de propofol ou midazolam, nas doses propostas, promoveu plano anestésico adequado, com alterações cardiovasculares mínimas, embora cursando com depressão respiratória significativa.
Download / Visualização