Ano 2016 - Volume 38, Número 1002


Título
Diagnóstico de Cryptosporidium spp. pela técnica de qPCR em gatos no estado do Rio de Janeiro, Brasil, 38(Supl.):22-26, 2016
Autores

Resumo
RESUMO. Carrasco L.P.S., Oliveira R.L.S., Moreira C.M.R., Santos C.R.G.R., Corgozinho K.B. & Souza H.J.M. [Cryptosporidium diagnosis by qPCR in cats at Rio de Janeiro state, Brazil.] Diagnóstico de Cryptosporidium spp. pela técnica de qPCR em gatos no estado do Rio de Janeiro, Brasil. Revista Brasileira de Medicina Veterinária, 38(Supl.):22-26, 2016. Programa de Pós-Graduação em MedicinaVeterinária, Instituto de Veterinária, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, BR-465, Km 7, Seropédica, RJ 23890-000, Brasil. E-mail: carrasco.lara@gmail.com

Cryptosporidium spp. é reconhecido como um importante agente etiológico de diarreia em diversos países. O objetivo deste trabalho foi detectar a presença do ADN do protozoário Cryptosporidium spp. em fezes de gatos com histórico de diarreia crônica atendidos no Setor de Medicina Felina do Hospital Veterinário da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, através da técnica de reação em cadeia da polimerase em tempo real (RT-PCR). Neste estudo, foram admitidos 100 animais da espécie felina, de diferentes raças, de ambos os sexos e a partir de 8 semanas de idade. Como critério de inclusão, os pacientes deveriam apresentar histórico de diarreia a mais de três semanas, com pouco sucesso de resposta clínica para terapêuticas previamente instituídas. A partir das amostras de fezes obtidas por coleta via lavagem do cólon dos animais e pelo ato de defecação espontânea, foram realizados os métodos do exame direto das fezes, técnica de centrifugo flutuação e PCR em tempo real. Dos 100 gatos que foram selecionados para esta pesquisa, 10% apresentaram infecção por Cryptosporidium spp. A maioria dos animais positivos estavam na faixa etária acima de um ano (70%) e apenas 30% tinha até um ano de idade. Os gatos eram 50% de raça pura e 50% eram animais sem raça definida. Os sinais clínicos apresentados por esses gatos no momento da consulta foram diarreia (60%) e prolapso de reto (40%). Quatro animais apresentaram co- infecções com outros enteropatógenos (40%), um com Giardia sp., um com Toxocara sp., um com Tritrichomonas foetus e outro com Toxocara sp. e Giardia sp. Podemos concluir que a infecção por Cryptosporidium spp. é um importante diagnóstico diferencial em felinos com diarreia crônica, que gatos de qualquer idade e independente de ser de raça pura ou não, podem apresentar a infecção e que a co-infecção com outros enteropatógenos necessita ser investigada em todos casos.
Download / Visualização