Ano 2016 - Volume 38, Número 1002


Título
Complexo Cryptococcus humicola isolado no pré e no pós-tratamento de mastite em vacas, 38(Supl.2):17-21, 2016
Autores

Resumo
RESUMO. Baroni F.A., Abreu D.P.B., Lima D.M., Campos S.G., Paula C.R. & Botteon R.C.C.M. [Cryptococcus humicola complex isolated before and after treatment of mastitis in cows.] Complexo Cryptococcus humicola isolado no pré e no pós-tratamento de mastite em vacas. Revista Brasileira de Medicina Veterinária, 38(Supl.2):17-21, 2016. Departamento de Microbiologia e Imunologia Veterinária, Instituto de Veterinária, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, BR 465, Km 7, Zona Rural, Seropédica, RJ 23890-000, Brasil. E-mail: baroni@ufrrj.br

A reação inflamatória de glândulas mamárias ou mastite é um dos principais problemas da pecuária leiteira no Brasil, pelos enormes prejuízos financeiros ocasionados às fazendas. Possui causas diversas, ocorrendo prevalentemente por ação microbiana. Destacam-se as bactérias, mas fungos, algas e vírus também apresentam envolvimento. Dentre os fungos, as leveduras Candida spp., Trichosporon spp. e Cryptococcus spp. estão entre as mais prevalentes. Os primeiros relatos envolvendo Cryptococcus spp. em casos de mastites são antigos, mas espécies de Cryptococcus (não neoformans e não gattii) têm sido relatadas como leveduras emergentes em vários casos clínicos, principalmente em humanos. Neste trabalho, descrevemos o isolamento de Cryptococcus humicola a partir de duas coletas realizadas em vacas leiteiras de duas propriedades distintas, antes e após o tratamento realizado para mastite bacteriana e discutimos as possíveis vias e causas de infecção.
Download / Visualização