Ano 2016 - Volume 38, Número 1001


Título
Linfoma primário cardíaco associado à leishmaniose visceral em cão - Relato de Caso, 38(Supl.1):47-54
Autores

Resumo
RESUMO. Peixoto T.C., de Freitas J.L., Farias S.S., Vieira Filho C.H., Larangeira D.F., Mascarenhas M.B., Nogueira V.A. & Barrouin-Melo S.M. [Primary heart lymphoma associated with visceral leishmaniasis in a dog - Case report.] Linfoma primário cardíaco associado à leishmaniose visceral em cão - Relato de Caso. Revista Brasileira de Medicina Veterinária 38(Supl.1):47-54, 2016. Departamento de Anatomia, Patologia e Clínicas Veterinárias, Escola de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal da Bahia, Av. Adhemar de Barros, 500, Ondina, Salvador, BA 40170-110, Brasil. E-mail: tcpeixoto@ufba.br

Descrevem-se os aspectos clínico-patológicos e imunoistoquímicos de um linfoma de células T primário cardíaco fatal, em um cão portador de leishmaniose visceral (LV), domiciliado em uma área endêmica no Estado da Bahia. Uma cadela da raça Pitbull, com 2 anos de idade, foi atendida no setor de clínica médica do Hospital Veterinário (HOSPMEV) da Universidade Federal da Bahia (UFBA), com histórico de dermatopatia crônica progressiva com prurido variável. O proprietário retornou seis meses após a primeira revisão, relatando que a cadela apresentava hiporexia, oligúria, emagrecimento e dispneia. O teste de ELISA indireto para pesquisa de anticorpos anti-Leishmania havia dado resultado positivo e o exame parasitológico de aspirado esplênico evidenciado formas amastigotas de Leishmania sp. A cadela apresentou parada cardiorrespiratória ainda no ambulatório do HOSPMEV e morreu. Ao exame macroscópico do coração, verificou-se epicárdio com superfície irregular, devido à presença de múltiplas áreas de coloração esbranquiçada homogênea, por vezes, salientes, localizadas em todos os quatro compartimentos cardíacos. Ao corte, observaram-se múltiplos nódulos ou massas de contorno irregular e tamanho variados. Adicionalmente, verificaram-se linfonodos superficiais moderadamente aumentados de tamanho. A avaliação histopatológica evidenciou, no coração e diafragma, proliferação atípica de células linfoides grandes ou médias, com núcleos arredondados ou ovoides, por vezes clivados, hipercromáticos, algo vesicular, com nucléolos evidentes e escasso citoplasma anfofílico, arranjadas sob a forma de manto difuso (padrão sólido) ou em grandes aglomerados entre grupos de fibras musculares cardíacas. No baço, linfonodos e medula óssea, verificaram-se grande quantidade de formas amastigotas de Leishmania sp. dentro do citoplasma de macrófagos ou livres no interstício. A coexistência entre infecção por Leishmania sp. e neoplasias tem sido verificada em homens e animais e, uma série de estudos, epidemiológicos, experimentais e laboratoriais sugerem a associação entre estas duas entidades no homem. Tudo indica que a disfunção do sistema imunológico causada pela infecção por Leishmania pode torná-lo mais susecptíveis a expressar um quadro patológico neoplásico raro, como o do presente relato.
Download / Visualização