Ano 2016 - Volume 38, Número 2


Título
Avaliação do efeito tóxico de Brachiaria decumbens em coelhos, 38(2):143-146
Autores

Resumo
RESUMO. Faccin T.C., Pupin R.C., Leal P.V., Santos A.C., Lima S.C., Ferreira V.B.N, Garcez W.S. & Lemos R.A.A. Evaluation of the toxicity of Brachiaria decumbens in rabbits. [Avaliação do efeito tóxico de Brachiaria decumbens em coelhos.] Revista Brasileira de Medicina Veterinária, 38(2):143-146, 2016. Laboratório de Anatomia Patológica, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Av. Senador Filinto Müller, 2443, Campo Gran­de, MS 79074-460, Brasil. E-mail: tatifaccin@hotmail.com

O objetivo do presente trabalho foi avaliar a sensibilidade dos coelhos à intoxicação por Brachiaria decumbens e o possível emprego desta espécie animal como modelo experimental para o estudo da intoxicação por esta forrageira em animais de produção. O experimento foi realizado durante a época seca do ano com 12 coelhos. O grupo tratado, com nove animais foi mantido em piquete de B. decumbens e o grupo controle, com três coelhos, em gaiolas recebendo repolho (Brassica oleracea). Amostras de sementes e folhas novas, maduras e senescentes de B. decumbens foram coletadas para quantificação da saponina protodioscina. A eutanásia dos coelhos de ambos os grupos foi realizada 30, 60 e 90 dias após a introdução dos animais do grupo tratado na pastagem. Os coelhos não apresentaram sinais clínicos, nem achados macroscópicos ou histológicos característicos de intoxicação por Brachiaria spp. Os dois grupos ganharam peso durante o experimento. A concentração de protodioscina (% matéria seca) variou de 0,87% a 2,72% (média ± desvio padrão: 1,95 ± 0,50) nas folhas novas, de 0,93% a 2,74% (1,71 ± 0,42) nas folhas maduras, de 0,59% a 1,66% (1,10 ± 0,25) nas folhas senescentes e de 0,11% a 0,28% (0,20 ± 0,05) nas sementes. Estes resultados demonstram que B. decumbens é palatável para coelhos. Conclui-se que os coelhos não são susceptíveis à intoxicação por Brachiaria spp. com concentrações de saponinas que são tóxicas para ovinos.
Download / Visualização