Ano 2016 - Volume 38, Número 2


Título
Ocorrência de parasitos gastrintestinais em Psitacídeos, mantidos em Parques Ecológicos na região metropolitana de Salvador, Estado da Bahia, 38(2):133-136
Autores

Resumo
RESUMO. Ayres M.C.C., Peixoto M.S.R., da Silva W.B., Gomes D.M., Nunes O.C., Borges K.B., de Moraes Neto M.A. & de Almeida M.A.O. [Occurrence of gastrointestinal parasites in Psittacines, kept in Ecologial Parkes in the metropolitan area of Salvador, Bahia.] Ocorrência de parasitos gastrintestinais em Psitacídeos, mantidos em Parques Ecológicos na região metropolitana de Salvador, Estado da Bahia. Revista Brasileira de Medicina Veterinária, 38(2):133-136, 2016. Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal nos Trópicos, Escola de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal da Bahia, Avenida Adhemar de Barros, 500, Salvador, BA 40170-110, Brasil. E-mail: ayresmcc@gmail.com

Analisou-se no presente trabalho a ocorrência de parasitas gastrointestinais de 53 exemplares de psitacídeos criados em parques ecológicos nos arredores de Salvador. Os locais escolhidos para a realização do experimento foram: Centro de Triagem de Animais Silvestres Chico Mendes (CETAS), Sítio e Haras D’Amato e Parque Zoobotânico Getúlio Vargas. As amostras foram analisadas no Laboratório de Parasitoses dos Animais da Universidade Federal da Bahia através do método de Willis-Mollay. Das amostras analisadas 39,62% (21/53) foram negativas e 60,38% (32/53) positivas. Os parasitos encontrados foram: Capillaria spp. (31,25%- 10/32); Ascaridia sp. (65,62%- 21/32) e Heterakis sp. (25%- 8/32), considerando que das amostras positivas 21,87% (7/32) foram proveniente de aves com infecções mistas. É necessário proceder a um acompanhamento da saúde destas aves, principalmente para que se possa montar uma estimativa de monitoramento.
Download / Visualização