Ano 2016 - Volume 38, Número 1


Título
Alterações clínicas e anatomopatológicas produzidas por intoxicação acidental com salinomicina sódica em catetos (Tayassu tajacu), 38(1):69-72, 2016
Autores

Resumo
RESUMO. Ribeiro V.M.F. & Santos F.G.A. [The clinical and anatomopathological and histologic alterations produced by the natural and accidental poisoning by sodic salinomycin in peccaries (Tayassu tajacu).] Alterações clínicas e anatomopatológicas produzidas por intoxicação acidental com salinomicina sódica em catetos (Tayassu tajacu). Revista Brasileira de Medicina Veterinária, 38(1):69-72, 2016. Laboratório de Apoio à Vida Silvestre, Centro de Ciências Biológicas e da Natureza, Universidade Federal do Acre, Campus Universitário Rio Branco, Rodovia BR-364 Km 4, Rio Branco, AC 69920-900, Brazil. E-mail: vania.rib@uol.com.br

Salinomicina sódica é um antibiótico poliéster monocarboxílico do grupo ionóforo. Tem propriedades antimicrobianas e anticoccídicas. A intoxicação por antibióticos ionóforos ocorre quando há ingestão de altas doses da droga por erros de cálculos ou contaminação de rações. Esse trabalho teve como objetivo descrever as alterações clínicas e anatomohistopatológicas produzidas pela intoxicação natural e acidental por salinomicina sódica (Coxystar 12% granular®) em catetos (Tayassu tajacu). 37 animais foram submetidos acidentalmente à ingestão “ad libitum” de salinomicina sódica, no criatório de animais silvestres “Caboclinho da Mata”, situado na Fazenda Experimental Catuaba pertencente à Universidade Federal do Acre. Dos indivíduos que consumiram a salinomicina, 14 morreram no período de 15 dias após a ingestão. Foi observado nos animais: anorexia, incoordenação motora, andar cambaleante, astenia, decúbito ventral e morte. Um dos animais que veio a óbito foi submetido à necropsia. Fragmentos de fígado e músculo estriado cardíaco foram coletados, fixados em formol a 10% e rotineiramente processados, pela técnica de embebição em parafina. Após serem cortados a 4μm, foram corados com hematoxilina e eosina. Macroscopicamente, foram observadas lesões indicativas de processo degenerativo, no fígado, onde este apresentava padrão lobular evidente e congestão. No coração, observou-se um abaulamento, com dilatação da câmara direita, hemorragias subepicárdicas e miocárdicas. Microscopicamente, no fígado, as lesões estavam distribuídas de forma difusa pelo parênquima do órgão, com ectasia das veias centros-lobulares e hepatócitos vacuolados. Estas vacuolizações tinham formas e tamanhos variados, assim como dilatação dos sinusóides e discreta megalocitose. No músculo cardíaco, além de lesões vasculares, caracterizadas por hiperemia e edema, não se observou nenhuma lesão nas fibras. Intoxicações por salinomicina ja foram registradas em suinos, caprinos, bovinos, gatos, alpacas, perus, coelhos, equinos e chinchilas. A anamnese e a sintomatologia clínica apresentadas pelos animais que ingeriram natural e acidentalmente a salinomicina sódica, indo a óbito, assim como os achados macro e microscópicos sugerem um diagnóstico de intoxicação aguda/sub-aguda por antibiótico ionóforo, sendo estes os primeiros casos relatados em catetos.
Download / Visualização