Ano 2016 - Volume 38, Número 1


Título
Coligranulomatose em frangos no Estado do Tocantins - Relato de caso, 38(1):53-56, 2016
Autores

Resumo
RESUMO. Cordova F.M., Alexandrino B., Baptista F., Burns L.V., Ramos A.T., Moron S.E., Cordova C.A.S. & Silva G.M.L. [Broilers coligranuloma in the State of Tocantins – Case report.] Coligranulomatose em frangos no Estado do Tocantins - Relato de caso. Revista Brasileira de Medicina Veterinária, 38(1):53-56, 2016. Escola de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal do Tocantins, BR-153, km 112, Zona Rural, Araguaína, TO 77804-970, Brasil. E-mail: fabiano.patologia@uft.edu.br

Descreve-se pela primeira vez um caso de coligranulomatose em frangos no Estado do Tocantins. Três machos de um criatório (plantel de aproximadamente 300 aves), com aproximadamente 60 dias de idade, foram encaminhadas ao Laboratório de Patologia Veterinária da Universidade Federal do Tocantins. As aves foram necropsiadas e amostras de tecidos foram enviadas para histopatologia. Na necropsia, as lesões significativas foram nódulos firmes, cinza esbranquiçados, variando de 3 a 10 mm em diâmetro, localizados nas superfícies serosas dos intestinos e vesícula biliar. Microscopicamente, foram observados granulomas típicos, com centros necróticos eosinofílicos envoltos por células epitelióides e células gigantes multinucleadas, com esparsos heterófilos. Nenhuma forma micótica ou organismos álcool-ácido resistentes foram observados em secções coradas por ácido periódico de Schiff ou Ziehl-Neelsen, respectivamente. Com base nas lesões foi diagnosticada coligranulomatose, forma rara de manifestação da colibacilose aviária.
Download / Visualização